CONFISSÃO: Moacir Horácio conta que quis matar a ex-companheira por raiva e ciúmes

Depois ser preso no final da tarde do último domingo, dia 12, no Povoado Mussuca, no município de Laranjeiras. Moacir Horácio Pereira, 48 anos, acusado de tentar matar a sua ex-companheira,  Itamara Ernestiva Amaral Santos e assassinar o colega dela, Manoel José de Freitas Júnior, no final da manhã do domingo do mesmo dia em um bar na Rodovia José Sarney, na Orla de Atalaia em Aracaju, confessou crime ao delegado que queria matar por ciúmes e raiva. ASSISTA O VIDEO:

De acordo com o delegado Kássio Viana, o autor dos disparos também estava em uma das mesas do bar, momento em que se dirigiu até o casal e iniciou os disparos. “A mulher foi a primeira a ser atingida. Já o seu atual companheiro teria tentado fugir, mas foi perseguido e novamente alvejado, vindo a óbito no local.

Ainda segundo Kássio Viana, o crime passional foi confirmado após a declaração da mulher vítima que, ainda quando recebia os primeiros atendimentos, afirmou que o autor dos disparos era seu ex-marido e que, desde o término do relacionamento, ela vinha sendo ameaçada por ele. A vítima foi socorrida e encaminhada ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse).

Sobre o quadro clinico da jovem Itamara, o HUSE emitiu um boletim nesta segunda-feira, dia 13.

Huse informa boletim médico da paciente Itamara Ernestina

13 de novembro de 2017

O Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) informa que a paciente Itamara Ernestina dos Santos, 26, deu entrada no final da manhã do último domingo, 12, na Área Vermelha, vítima de arma de fogo. A paciente foi atingida por dois disparos que alcançaram o braço esquerdo e o tórax, ferindo a oitava vértebra torácica, ou seja, levando ao quadro de trauma raquimedular.

De acordo com o superintendente do Huse, Luís Eduardo Correia, a paciente encontra-se orientada, consciente e com respiração espontânea. “Estamos aguardando um prazo de 48 horas para que o neurocirurgião possa reavaliar a gravidade da lesão e a evolução da paciente. A partir daí, veremos se está constatada uma paraplegia ou as possíveis sequelas, além de uma necessidade de cirurgia. A gente torce para que haja uma boa evolução da paciente nas próximas 48 horas que será completada amanhã”, informou.

A paciente cita que não tem nenhuma percepção de sensibilidade nos membros inferiores (pernas). O projétil entrou pela região do tórax e atingiu a oitava vértebra. Ela passou por uma hemopneumotorax (drenagem no tórax), exame de tomografia e está evoluindo bem. O quadro inspira cuidados, não há risco de morte, porém, um risco de paraplegia.

LEIA MAIS  SOBRE O CASO: CLICK !

Por: www.imprensa1.com

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*