Jovem que participou da morte do lutador Muay Thai em Socorro confessa o crime

Políciais Civis lotados no Departamento de Crimes contra o Patrimônio (Depatri) realizaram nessa quinta-feira, 8, a prisão de um homem identificado como André Alef Alves dos Santos, 18 anos, apontado como autor do latrocínio que vitimou o atleta de Muay Thai, Augusto Rhuan dos Santos, 22 anos, morto a tiros ao tentar fugir da tentativa de roubo.

O crime ocorreu  no inicio da tarde da quarta-feira, dia 13 de dezembro de 2017, na porta da casa de familiares da vítima na rua 66/63,  no conjunto Marcos Freire II, perto da Escola Estadual Marinalva Alves, no município de Nossa Senhora do Socorro.

Assim que receberam o caso, os agentes de segurança lotados no Depatri deram início as investigações e levantamento de indícios que apontassem o autor dos disparos. Informações passadas pela equipe do Departamento de Narcóticos (Denarc) ajudaram os policias do Depatri a localizar André Alef, durante uma abordagem realizada por policiais civis lotados no Denarc, foram encontrados com o suspeito drogas, uma escopeta e munições.

Durante interrogatório, o suspeito confessou a participação no crime informando que um adolescente que estava com ele no momento do ocorrido teria sido o responsável pelos disparos.  Diante dos fatos, André Alef Alves dos Santos foi preso e encontra-se a disposição da justiça.

O adolescente apontado por Andrá Alef foi interrogado e confirmou a prática de ato infracional análogo ao crime de latrocínio que vitimou Augusto Rhuan.

Durante interrogatório ele confirmou também a autoria de um outro latrocínio que ocorrera em março do ano passado e vitimou Gleiciano de Araújo baleado no rosto dentro de sua própria residência no Conjunto Neuzice Barreto, também em Nossa Senhora do Socorro.

Segundo o adolescente, a arma utilizada em ambas as ações foi emprestada por um outro colega que foi posteriormente preso no interior do Estado. O adolescente responsável pela prática dos atos infracionais teve sua internação provisória representada pelo Depatri.

A investigação chama atenção para a importância do intercâmbio de informações entre as equipes de Polícia, integração que beneficia a sociedade sergipana.

Reprodução e adaptação: Imprensa1.com

Fonte: Ascom da SSP/SE

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*