Médicos paralisam atividades e cobram reunião com PMA

Os médicos da Rede Municipal de Aracaju, inciaram nesta segunda-feira, 21, com paralisação de 48h a campanha salarial 2017. Eles fizeram um ato público  em frente ao Centro Administrativo da Prefeitura.

Eles cobram o reajuste salarial ao Prefeito Edvaldo Nogueira, cuja data base é abril, além das condições de trabalhos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

 

No ano passado, os servidores municipais com muita luta conseguiram colocar no Estatuto do Servidor a data base para o reajustes salariais sendo o mês de abril. Já se passaram quatro meses, e, o prefeito não sinalizou nada. De acordo com o presidente João Augusto, “A lei aprovada ano passado, também diz que a revisão da data base tem que ser anual; e os médicos, assim como os demais servidores municipais estão pedindo apenas a recomposição da inflação do ano passado que gira em torno de 4%, para repor parte das perdas salariais”, disse João Augusto, esclarecendo “que não é efetivamente os que os médicos queriam, mas foi o que conseguimos convencer nas assembleia, diante da defasagem salarial que existe, visto que ainda está a baixo dos reajustes que os bens e serviços sofreram, ficando na casa de 10%”.

A Campanha Salarial, não visa somente o reajuste, mas também as condições de trabalho para que os médicos possam desempenhar as suas funções. O vice-presidente do Sindimed José Menezes, lembrou em sua fala, que neste item,  perpassa também por uma maior observação e revisão do gestor municipal. “Precisamos ter agilidade na marcação de exames, com um tempo menor, nas Unidades de Saúde faltam receituário, medicamentos, mesas e cadeiras tanto para o profissional como para o paciente – o usuário do Sistema Único de Saúde (SUS), além de ar condicionados e outros equipamentos”, disse salientando que o prefeito Edvaldo Nogueira tem que consertar esse problema.

Os médicos assim que deliberaram em assembleia pela paralisação de advertência por 48 horas, enviaram ofício não só ao Prefeito Edvaldo Nogueira e seus assessores, como também enviaram cópia ao Ministério Público Estadual (MPE), Tribunal de Justiça (TJ/SE), Tribunal de Contas do Estado (TCE),  comunicando a deliberação da categoria e solicitando uma outra reunião com o Gestor Municipal para discutir o assunto; já que na reunião passada, o prefeito Edvaldo não compareceu e enviou assessores, mas sem poder de decisão. Essa reunião está marcada para às 15 horas, desta segunda-feira, na Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Nesta  terça -feira, 22, os médicos voltam a se reunir em assembleia na sede do Sindicato dos Médicos, com o intuito de avaliar a reunião na tarde desta segunda-feira, com a cúpula da PMA, além da suspensão ou manutenção da  paralisação.

 

Fonte: Sindimed

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*