Obras do Viaduto do Detran segue cronograma

viaduto

viadutoAs obras de duplicação do Viaduto do Detran estão sendo executadas normalmente de acordo com o cronograma pré-estabelecido pela Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra), através do Departamento Estadual da Infraestrutura Rodoviária (DER), num investimento do Governo do Estado que ultrapassa os R$ 21 milhões.
No local da construção, já foram concluídas as cravações das 277 estacas metálicas, concretagem dos nove blocos de coroamento, 28 pilares e sete travessas, restando apenas a implantação das 42 vigas pré-moldadas, num total de 112, seguindo com a conclusão dos cinco vãos que formam o piso do novo viaduto.

O próximo passo da obra será o lançamento das vigas para execução dos acessos e construção da passarela metálica para pedestres, iluminação e paisagismo, além da recuperação estrutural e total do viaduto antigo.

Estrutura

viaduto 2O novo piso do Viaduto do Detran será composto por 112 vigas, 219,80 metros de comprimento por 14 metros de largura, divididos em uma pista de oito metros, ciclovia de 3,50m e passeio com 1,80.

Cada viga tem uma extensão de 27m, 34 toneladas de peso, fabricadas no próprio canteiro da obra e transportadas para o local de lançamento em uma carreta especial, o que necessita da existência dos desvios no trânsito do entorno.

walmorSegundo o gestor da pasta de Infraestrutura, Valmor Barbosa, o lançamento das vigas pré-moldadas está sendo efetuado aos sábados, domingos e feriados, em virtude da diminuição do fluxo de veículos.
 A Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) liberou, também, às sextas-feiras, das 9h às 11h e das 14h às 16h, em casos de necessidades.

“Durante a operação de lançamento o trânsito não fica totalmente interrompido, ele é desviado durante o período de transporte do canteiro até a retirada da viga da carreta; assim que a carreta desce o viaduto para apanhar outra viga, o trânsito é totalmente liberado”, explicou Valmor Barbosa.

Por outro lado, os serviços não podem ser efetuados à noite, em decorrência da falta de iluminação adequada para permitir o transporte seguro das vigas e a visualização dos operadores dos guindastes, como também, dos que devem posicionar as vigas nos seus exatos locais.

O secretário garantiu que “não há como realizar uma obra desse porte num local de fluxo intenso de veículos, sem causar transtornos”, já que é feito um planejamento com relação a todos os serviços que serão executados a fim de minimizar os incômodos ao máximo.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*