População tenta invadir delegacia para linchar acusado de estuprar duas meninas

slide-da-invasaoRevoltada, população tentou invadir delegacia para linchar homem acusado de estuprar duas meninas: uma de 10 e outra de 13 anos. No final da manhã desta terça-feira, dia 31, os moradores da comunidade Invasão do Rio do Sal, no conjunto João Alves Filho, em Nossa Senhora do Socorro-SE. Tentaram fazer justiça com as próprias mãos, ao tentaram invadir a 5ª Delegacia Metropolitana, com o objetivo de linchar acusado de estuprar duas meninas moradoras da invasão, uma de 10 e a outra 13 anos.

acudadoO homem preso, também morador da comunidade, é Carlisson Francisco da Cruz, de 22 anos, conhecido como “ Alisson” e “Minhoca”. De acordo com relato de parentes das vítimas, Alisson e outro homem, ainda não identificado pela polícia, estavam juntos quando as meninas sumiram após terem ido comprar pão a pedido deste suposto amigo de Alisson.no final da tarde desta segunda-feira, 30, por volta da 15h.

Eles disseram também, que uma das meninas quando foi encontrada, estava sangrando nas partes íntimas, e a outra, muito machucada nas pernas, cabeça e braços. Além de partes das veste rasgada.

O acusado disse ao repórter Marcos Couto da Liberdade FM e site Imprensa1.com, que conheceu o colega foragido no mês de São João, e de lá para cá, o individuo apareceu em sua casa por quatro vezes para usar droga o “ Crack”, e ontem na tarde de ontem (30/07), foi mais vez fumar droga.

“Eu peguei deixei ele lá em minha casa sozinho, e fiquei conversando com uma ex-mulher minha. Ai quando eu to conversando com minha ex-mulher, ele vinha dizendo que ia ali e voltava já!. Ele passou sozinho… Eu continuei conversando com a minha ex-mulher e voltei para o barraco”, relata Carlisson Francisco.

Carlisson-Francisco-3“Quando eu tava voltando pra minha casa, a mãe da menina perguntou se aquele cara era meu primo, eu digo não..Não senhora,Não é meu primo não. Ela não!… Que ele disse que era primo seu, primo de no sei quem.. Primo do no sei quem, no sei quem. Não senhora, ele é apenas um colega que conheci de são João pra cá”, explica Alisson.

Segundo o acusado, a mãe das meninas estava querendo saber onde estaria este seu colega, que havia pedido para as meninas irem comprar pão e até aquele instate não haviam retornado “E disse: qual delas?… Que eu moro lá vizinho a ela, e Lea sabe disso que eu nunca tirei liberdade com as filhas dela, nunca tirei liberdade”, se defende.

“Aí.. Eu digo calma rapaz,vamos atrás, vamos atrás. Ai encontramos uma das meninas… Eu não tenho nada haver seu puliça, se eu tiver alguma coisa haver, eu quero um exame de DNA aí, O exame de DNA consta, se eu topei a mão nessas meninas ou não. Se o exame DNA constar eu quero que vocês me joguem aí oi.., Eu ai no meio desse tumulto, no tenho nada haver não rapaz. Eu sou inocente… Eu sou inocente…”, Declara.

Carlisson-Francisco-2Para resguardara segurança do acusado, o diretor do Comando de Operações Especiais (COPE), delegado Everton dos Santos, o transferiu da 5ª delegacia para a sede do COPE, para também realizar um interrogatório sobre o caso.

O segundo elemento acusado pelo crime contras as meninas, continua foragido. As meninas abusadas sexualmente pelos elementos passaram pela maternidade Nossa Senhora de Lourdes, onde submeteram por diversos exames e depois foram liberadas.

A qualquer momento mais informações.
Vejas fotos e alguns vídeos vídeos sobre este caso:
 

Deixe uma resposta