Presidente diz que tem consciência tranquila sobre votação do Proinveste

AL 10.12_web

AL 10.12_webA presidente da Assembleia Legislativa, deputada estadual Angélica Guimarães (PSC), ocupou a tribuna, na tarde de ontem, para explicar a polêmica gerada entre parlamentares governistas sobre a inclusão dos três projetos do Poder Executivo que versam sobre o Proinveste (empréstimo de R$ 727 milhões que o governo do Estado queria tomar junto ao governo federal) na pauta de votação da sessão da última quarta-feira (5). Governistas queriam a votação na quinta-feira (6), com as presenças dos deputados Conceição Vieira (PT) e Luiz Mitidieri (PSD). Angélica Guimarães iniciou explicando que o próprio governador Marcelo Déda (PT) lhe cobrava publicamente a votação dos projetos.

“Desde o primeiro momento que o governador, junto à imprensa, cobrava que eu colocasse o Proinveste para votar. Nosso compromisso era que tão logo os projetos viessem das Comissões, a gente colocaria. Isso aconteceu na Comissão de Saúde”. Em seguida, a presidente explicou que a deputada Conceição Vieira estava em uma viagem institucional fora do País, mas mesmo assim teve o cuidado de entrar em contato.

“Ela (Conceição) estava em uma missão honrosa no México e tínhamos um entendimento para colocar esses projetos na pauta no seu retorno. Na terça-feira (4), perguntei ao assessor de Conceição, aqui no plenário, e ele confirmou que ela só chegaria na quinta à tarde, e os projetos já estavam prontos para irem à pauta”. Angélica explicou que, ainda assim, fez um contato telefônico com Conceição Vieira quando houve um entendimento para que a votação fosse realizada na quinta. Ela sugeriu que ficasse para segunda (10), mas eu lhe disse que não dava e que pautaria tudo até a quinta. Aí, na terça a tarde, na posse dos secretários, vem o governador e diz em alto e bom som que se até dia 15 a AL não votasse o Proinveste, ele convocaria a Casa extraordinariamente para a votação. Aquilo mobilizou nossa bancada que, se reuniu e decidiu votar na quarta-feira”.

Angélica colocou que chegou a propor que a votação fosse na quinta, mas a maioria defendeu que fosse na quarta-feira tendo em vista que os deputados Maria Mendonça (PSB) e Paulinho Filho (PTdoB) precisavam se ausentar do Estado para tratamento de Saúde e o deputado Augusto Bezerra (DEM) também se manifestou sobre ter que viajar. “Como a quinta-feira não é dia de votação na Casa, prevaleceu a vontade da maioria. Agora o que as pessoas precisam saber é que na terça-feira a noite eu chamei o deputado Gustinho Ribeiro (PSD), líder do governo, na minha residência e lhe comuniquei da decisão do grupo (de por em votação na quarta)”.

“Não queria prejudicar nenhum dos dois lados. Talvez eu tenha me equivocado, porque jamais poderia ter feito um entendimento sem consultar a maioria anteriormente. O fato de conversar com os dois lados, antes da votação me deixa com a consciência tranquila. Se assim não fosse eu jamais teria chamado o líder do governo em minha residência para lhe comunicar da decisão. Cumpri a minha missão e acho que a deputada Conceição Vieira me procurar primeiro para esclarecer a situação. Jamais forças ocultas vão me fazer mudar de opinião. Ninguém vai pautar as minhas ações, tenho família a zelar e minha história será conservada”, completou a presidente da AL.

Fonte: agencia Alese 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*