Deputado Gilmar Carvalho questiona TCE sobre projeto que beneficia os reformados da PM e do Corpo de Bombeiros do estado de Sergipe.

O deputado estadual Gilmar Carvalho (PSC) utilizou a tribuna na manhã desta quarta-feira, 22, para questionar o entendimento do Tribunal de Contas de Sergipe  acerca  do Projeto de Lei  que  fora aprovado pelo Poder Legislativo e beneficia os reformados da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do estado de Sergipe. Segundo o parlamentar, aprovação do projeto de lei foi uma questão de justiça com às categorias.

Segundo apontou o deputado, o Ministério Público de Contas questionou o prazo  e a aprovação do projeto, enfatizando questões  ligadas à Lei de Responsabilidade Fiscal. ” O tribunal, por meio de uma cautelar, pois questionamento foi aprovado pelo pleno do Tribunal de Contas de Sergipe (TCE),  questionou o prazo de seis meses da Lei de Responsabilidade Fiscal. Eu não gostaria  de  formalizar  um questionamento junto  ao Ministério Público de Contas. Hoje o Gilmar Carvalho é de paz, e aprendeu a homenagear aqueles que trabalho de forma correta. Mas, se for preciso, irei formalizar questionamento junto aos órgãos necessários caso seja mantido o mesmo entendimento em relação à lei dos reformados sobre a lei de responsabilidade fiscal,  e que provocou uma cautelar para o Governo do Estado”, salientou o deputado

Segundo ainda  externou o deputado, a condição da cautelar pelo TCE não levará à efeito o pagamento da folha de pagamento dos reformados  para este  mês.Não é  desafio e nem ameaça, mas depois de tantas lutas que travamos em favor dos reformados, nós não vamos deixar isso à toa. Não, em hipótese alguma. Ver os reformados prejudicados, enquanto outros projetos aprovados em prazos menores não sofreram o mesmo questionamento feito pelo tribunal de contas”, analisou o deputado Gilmar Carvalho.

Reprodução: www.imprensa1.com

Por Stephanie Macêdo – Rede Alese

Foto: Alese

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.