Integrantes de organização criminosa que agiam em São Paulo e Pernambuco morrem em troca de tiros com policiais de Sergipe

Nas primeiras horas desta quarta-feira, 22, a Polícia Civil sergipana deflagrou a Operação Anúbis, visando o cumprimento de mandados de prisão e busca domiciliar nos Estados de Pernambuco e São Paulo. A organização criminosa é investigada pelos crimes de tráfico de drogas e armas de fogo, além de roubo de cargas.  Em uma residência na cidade de Tamandaré (PE), dois suspeitos entraram em confronto com a polícia, foram socorridos, mas não resistiram e morreram. Eles foram identificados como Aldevan Oliveira Cunha, 39 anos, natural de Itabaiana (SE); e Adelvan Cardoso de Oliveira, 38, também nascido na mesma cidade sergipana.

A operação está sendo realizada pelo Departamento de Narcóticos (Denarc) e pela Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE), com o auxílio da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol) da Polícia Civil de Sergipe e pela Polícia Rodoviária Federal.

Também estão participando da operação, policiais civis pernambucanos do Centro Integrado de Inteligência da Secretaria de Defesa Social (CIIDS/SDS) e da Delegacia Seccional de Palmares, além de policiais civis paulistas do Grupo Armado de Repressão a Roubos (GARRA) e Departamento de Operações Policiais Estratégicas (DOPE).

Nome da operação

Anúbis, deus egípcio dos mortos, guiava e conduzia a alma dos falecidos no submundo, era sempre representado com cabeça de chacal. O batismo da operação foi uma alusão com o quadro caótico de violência e mortes na sociedade gerado pelos crimes graves praticados pelos componentes da organização criminosa.

Reprodução: www.imprensa1,cin

Fonte: SSP/SE

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.