PMs de Sergipe e mais quatros pessoas presas na operação “Reação Adversa da PF ” são colocados em liberdade

Na tarde desta sexta-feira,  dia 08, foram postos em liberdade  os dois policiais militares de Sergipe, Jhoen Anderson e Herlisson José e mais quatro pessoas : Marinalva Costa ( mãe  de um dos PMs), José  Pereira (Padrasto do PM), Vinicius Santana (BA)Tassiano Lima ( Minas Gerais) e o homem de prenome Daniel, presos pela Polícia  Federal (PF)  no dia 25 de outubro deste ano, na operação  ” Reação Adversa “.  Todos são suspeitos  de participar  de um grupo criminoso instalado na capital sergipana responsável  pela importação,  produção,  distribuição  e comércio de anabolizantes para diversos estados brasileiros.

De acordo a PF, os investigados para manterem ocultas suas identidades,  utilizavam-se de codinomes em suas transações comerciais, bem como criavam perfis em redes sociais, visando o incremento na distribuição dos anabolizantes Para aumentar seus lucros com a venda ilegal, os investigados adulteravam os produtos comercializados bem com enganavam seus “clientes” mediante a troca dos rótulos dos fármacos.

Na cidade de Aracaju foram localizados imóveis que eram utilizados pelo grupo investigado como “laboratório” e como depósito das substâncias produzidas. Destaque-se que tais produtos possuem sua comercialização controlada ou mesmo proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA.

Neste sentido, verifica-se que conduta criminosa praticada além de ferir a legislação penal, atenta contra a saúde pública, pois as substâncias comercializadas são administradas via oral e também injetadas no corpo de seus usuários, na maioria jovens que desconhecem a origem e os perigos envolvidos com o uso desses produtos.

Estima-se que o grupo investigado tenha movimentado mais de 1 milhão de reais em aproximadamente 18 (dezoito) meses de atuação ilícita.

Na operação do dia 25, foram expedidos 08 (oito) Mandados de Busca e Apreensão e 05 (cinco) de Prisão Preventiva pelo Juízo da 1ª Vara Federal de Sergipe, cumpridos nos estados de Sergipe, Bahia e Minas Gerais.

Os envolvidos responderão pela prática de crimes de CONTRABANDO, FALSIFICAÇÃO, CORRUPÇÃO, ADULTERAÇÃO OU ALTERAÇÃO DE PRODUTO DESTINADO A FINS TERAPÊUTICOS OU MEDICINAIS, LAVAGEM DE DINHEIRO e

ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA.

O nome REAÇÃO ADVERSA refere-se aos efeitos nocivos dos anabolizantes ao organismo dos seus usuários, similar a ação da Polícia Federal em relação aos investigados.

Por: www.imprensa1.com

Fonte: Ascom da PF.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.