Policiais do DEPATRI prendem pessoas suspeitas de fraudar vendas de terrenos em Sergipe

Os policiais civis de Sergipe do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio ( DEPATRI ) através da Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos (DRCC), que tem a frente a delegada Rosana Freitas, realizou na manhã desta quarta-feira, dia 14 uma ação policial em Aracaju para dar cumprimento a cerca de cinco mandados de prisão contra pessoas suspeitas de fraudar documentos de vendas de terrenos em Sergipe. No primeiro momento três pessoas foram detidas, uma delas no Bairro Santa Maria na zona sul da capital sergipana.

O rei das redes sociais policiais ” Sandoval Notícias “/parceiro do Portal Imprensa1, informou que a pessoa detida no Santa Maria alegou que a transação de compra e venda de um terreno teria ocorrido a um tempo atrás e quando ele chegasse na delegacia, iria explicar tudo a delegada Rosana  Freitas.

O portal Imprensa1 recebeu a informação da Assessoria de Comunicação SSP de Sergipe que as 11h haverá uma coletiva de imprensa com a delegada na sede do Depatri , onde serão repassadas as informações com mais detalhes e o resultado da ação de hoje.

Por: www.imprensa1.com

ENTENDA TODO CASO  – atualizada as 14h52

O Departamento de Crimes contra o Patrimônio (Depatri) deflagrou nesta quarta-feira, 14, uma operação para prender suspeitos de cometer diversos crimes de estelionato na cidade de Nossa Senhora do Socorro. A operação tem como foco a prisão de cinco suspeitos, três já foram presos. Eles foram identificados como Francisco Teles, Carlos Rodrigues de Oliveira e José Carlos de Souza Farias. As diligências continuam com o objetivo de localizar e prender os outros dois suspeitos, Jailton de Jesus e Antônio José Meneses Santos

As investigações se iniciaram após denúncia de um escrevente de cartório, que teve seus dados e assinatura falsificados em uma procuração. As investigações duraram de quatro a cinco meses, e resultaram na identificação de cinco suspitos, todos envolvidos nas vendas fraudulentas de terrenos no município de Nossa Senhora do Socorro.

Os suspeitos faziam levantamentos de lotes em que os proprietários não estavam construindo ou estavam ausentes. “Eles falsificavam procurações, contratos de compra e venda, documentos de identidade desses proprietários e efetuavam a venda com base nesses documentos fraudulentos”, destacou a delegada Rosana Freitas.

As prisões ocorreram nos bairros Santa Maria e Olaria, ambos na capital. A Polícia Civil solicita que informações e denúncias sobre a localização dos demais envolvidos nos crimes sejam repassadas por meio do Disque-Denúncia, no telefone 181. O sigilo do denúnciante é garantido.

FONTE: SSP

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.