Protestos em frente ao MEC acabam em confusão com a Polícia Militar

Na tarde desta terça-feira (16), ocorreu uma manifestação em frente ao Ministério da Educação (MEC), que terminou em confusão entre Policiais militares e manifestantes.

Estudantes e professores protestavam com cartazes expondo frases de repúdio contra os diversos cortes financeiros que as universidades veem sofrendo e com a possibilidade de haver cobranças nas mensalidades das Universidades Federais.

Diversos cartazes foram fixados na porta do prédio do MEC e os policias ao tentarem retiram o material foram impedidos pelo grupo de manifestantes, o que ocasionou em confusão e mais protestos..

A troca de agressões entre a Polícia Militar e os participantes do movimento gerou depredação de uma viatura da corporação, policias agredidos com cones de sinalização da polícia, assim como estudantes e outras pessoas com lesões corporais.

Em depoimento o MEC esclarece:

O Ministério da Educação (MEC) repudia o ato violento, ocorrido na tarde desta terça-feira, 16 de julho, contra policiais militares. Os PMs estavam em serviço para garantir a ordem pública e evitar possíveis danos ao patrimônio e aos servidores da sede da pasta, em Brasília.

Manifestantes, organizados pela União Nacional de Estudantes (UNE) – estavam com camisetas da entidade, furaram o bloqueio feito pelos policiais na entrada do ministério e um deles arremessou um cone de sinalização na tropa. Dois militares se feriram e uma viatura foi pichada e depredada. Para dispersar os manifestantes, que tentaram invadir o prédio, foi usado gás lacrimogênio.

A atual gestão do MEC, embora esteja aberta ao diálogo, esclarece que não houve contato de representantes do grupo para uma conversa com gestores do Ministério. O MEC presta todo o apoio à Polícia Militar do Distrito Federal e aos policiais lesionados.

 imprensa1.com

G1

Foto: UNE

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.